Login Acesso Restrito



Nós temos 2 visitantes online
Visualizações de Conteúdo : 176300
Agradecimento aos Congressistas

A Comissão Organizadora do VI Congresso Brasileiro de Mamona e III Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas agradece a todos que estiveram presentes nos eventos e que fizeram destes um sucesso.

Aos nossos patrocinadores e apoiadores nosso agradecimento pela contribuição na organização do evento

Agradecemos também aos palestrantes convidados que se dispuseram a compartilhar o seu conhecimento com excelentes exposições.

Ainda, aos participantes que deram vida ao evento com sua presença, especialmente aos que apresentaram seus trabalhos em comunicações orais e pôsteres, registrados nos anais do evento.

Agradecemos, assim, a todas as pessoas que contribuíram para viabilizar o evento, pelo seu empenho, esforço e, em especial, pela demonstração de compreensão e solidariedade na solução dos problemas que surgiram.

Esperamos ter colaborado para o vosso crescimento pessoal e para a evolução das cadeias produtivas das culturas oleaginosas energéticas, por meio da difusão de conhecimento occorida nestes eventos.

Obrigado a todos e até breve!

 

A Comissão Organizadora

 
Participação de agricultores é destaque no VI Congresso Brasileiro de Mamona

Uma grande oportunidade de interagir e trazer informações novas sobre o cultivo da mamona e de outras oleaginosas. Essa foi a avaliação do chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Algodão, Liv Soares Severino, sobre o VI Congresso Brasileiro de Mamona e III Simpósio Internacional de Oleaginosas, que aconteceram de 12 a 15 a de agosto, em Fortaleza. "Um dos méritos dessa edição é que tivemos uma grande participação dos agricultores vindos de diversos estados do Nordeste para interagir conosco", declarou durante a plenária de encerramento.

Representando os estudantes, o bolsista Pablo França, destacou que o evento é essencial para complementar a formação acadêmica e promover a aproximação com o agricultor. "O congresso nos aproxima do produtor rural, isso é uma oportunidade que não temos na universidade", disse.

O secretário adjunto do Desenvolvimento Agrário do Estado do Ceará, Antônio Rodrigues de Amorim, ressaltou a evolução da cadeia produtiva da mamona e a necessidade de inserir o pequeno produtor nesse processo. "Vimos que foi desenvolvida uma máquina para colher mamona em grande escala, mas também é possível adaptar o equipamento para o pequeno produtor", afirmou.

O agricultor Osmar Alves Ribeiro, de Boa Viagem, CE agradeceu a oportunidade de poder participar do evento e conclamou a todas as instituições das três esferas do poder a trabalharem juntas para que as políticas públicas possam chegar até o pequeno produtor.

Os eventos contaram com cerca de 600 participantes entre agricultores, estudantes, pesquisadores. Ao todo, foram 245 trabalhos inscritos, sendo 56 apresentações orais e 189 trabalhos em banner.

Durante a plenária, foi realizada a premiação dos melhores trabalhos técnico-científicos. Em primeiro lugar, ficou a apresentação oral sobre Destoxificação da torta de mamona por diferentes soluções de óxido de cálcio, de Tibério Sousa Feitosa. O segundo lugar foi para o Desenvolvimento de um deslintador térmico de sementes de algodão, de Pablo França, e o terceiro, para Seletividade e eficácia de herbicidas na cultura da mamoneira para o controle de ciperáceas, do pesquisador da Embrapa Algodão, Augusto Costa.
 
O tradicional anúncio da próxima cidade sede do evento será realizado posteriormente, pois vários estados se candidataram para sediar o congresso.

Máquinas e equipamentos para agricultura familiar

A escassez de mão de obra é um dos principais gargalos da cultura da mamona, especialmente, nas etapas da colheita e do beneficiamento. Com o objetivo de apresentar as tecnologias disponíveis para a mamona e outras oleaginosas, o último dia do evento contou com uma exposição de máquinas e equipamentos para agricultura familiar, desenvolvidos pela Embrapa, por empresas parceiras e pelos próprios produtores.

Entre os equipamentos apresentados estavam: semeadora de mamona, distribuidor de fertilizante, plantadeira de gergelim, máquina para separar as impurezas das sementes de mamona, máquina descascadora de mamona, arado escarificador para preparo do solo, roçadeira manual motorizada para reduzir plantas daninhas, descascadora de amendoim, miniusina itinerante de beneficiamento do algodão, semeadora e adubadora à tração animal para plantio direto.

O agricultor José Luís Soares, de Monsenhor Tabosa, CE, afirmou que descascar a semente de mamona manualmente é muito cansativo. "O pessoal às vezes prefere plantar outra coisa porque é um trabalho muito pesado", contou.

Para presidente da Cooperativa Agroindustrial do Compartimento da Borborema –COOPAIB, da Paraíba, Ricardo Albuquerque, o uso de equipamentos para processar a semente de mamona, além de trazer mais agilidade, agrega valor ao produto. "As máquinas substituem a mão de obra deficiente e o produtor ganha mais tempo e qualidade de vida", disse.

Produção de mamona na região centro-sul do Brasil

A última conferência do congresso abordou a temática da Produção de mamona na região centro-sul do Brasil, com palestra do pesquisador da Universidade Estadual Paulista – Unesp, Maurício Dutra Zanotto. Ele apresentou resultados de estudos sobre a cultura da mamona no Cerrado em condições de "safrinha" com o milho e para a redução do porte da planta para permitir a colheita mecanizada. "Um dos desafios era a colheitadeira e esse desafio está praticamente superado", afirmou.

Segundo ele, os nematoides são outro grande desafio de quem cultiva no Cerrado, mas a mamona se mostrou resistente aos parasitas. "Na mesma área em que foi plantado algodão e mamona, foram encontrados 1.445 nematoides no algodão e apenas dois na mamona. Isso está animando bastante os produtores", disse Zanotto.

O pesquisador observou ainda que a produtividade da soja foi maior onde foi plantada a mamona, em função do aumento da atividade radicular.

Outro estudo promissor para a cultura é o programa de melhoramento de híbridos que já teria obtido produtividades de até 4.000 quilos por hectare em condições experimentais.

 

Edna Santos (MTB-CE 01700) 
Embrapa Algodão 
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.  
Telefone: (83)3182-4361

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 40

Webmaster: Walmar Pessoa